Intro

Bem vindo ao blog Cuiqueiros, um espaço exclusivamente dedicado à cuica – instrumento musical pertencente à família dos tambores de fricção – e aos seus instrumentistas, os cuiqueiros. Sua criação e manutenção são fruto da curiosidade pessoal do músico e pesquisador Paulinho Bicolor a respeito do universo “cuiquístico” em seus mais variados aspectos. A proposta é debater sobre temas de contexto histórico, técnico e musical, e também sobre as peculiaridades deste instrumento tão característico da música brasileira e do samba, em especial. Basicamente através de textos, vídeos e músicas, pretende-se contribuir para que a cuica seja cada vez mais conhecida e admirada em todo o mundo, revelando sua graça, magia, beleza e mistério.

(To best view this blog use the Google Chrome browser)

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

A cuica no jazz

Todos nós sabemos que a cuica é um instrumento típico do samba, e sabemos também que o samba é uma das maiores referências musicais do Brasil diante do mundo. Deste modo, o tempo se encarregou de levar o samba a lugares distantes e permitir que, ao longo dos anos de sua existência, ele fosse dialogando com outros gêneros musicais, como o jazz, por exemplo. A bossa-nova talvez seja o melhor caso para exemplificar os resultados gerados pelas influências entre esses dois gêneros musicais, que, dentre outros aspectos, ocorreu inclusive no âmbito da instrumentação. Essa postagem traz alguns registros que comprovam a presença da cuica no universo jazzístico.


A imagem acima é a capa de um livro JAZZ – History ▪ Instruments ▪ Musicians ▪ Recordings, da autoria de John Fordham, publicado pela editora Dorling Kindersley. Nele há algumas páginas dedicadas a instrumentos sul-americanos, caribenhos, asiáticos e africanos, introduzidos no jazz como resultados de buscas por novas sonoridades. O músico que faz a apresentação desses instrumentos no livro foi o Naná Vasconcelos, músico pernambucano com vaga cativa entre os grandes percussionistas do mundo.


No lado esquerdo dessa outra imagem está a página com as informações sobre os vários instrumentos mencionados. A parte que fala sobre cuica está ampliada à direita, onde se diz mais ou menos o seguinte: A cuica é um tambor de fricção brasileiro. Há uma vareta anexada dentro da pele, que o instrumentista esfrega com um pano umedecido, aplicando pressão sobre a pele, criando um gemido vocalizado, caracterizado muitas vezes neste processo.

É interessante notar que a cuica está relacionada entre os instrumentos de percussão, mas é descrita como um "tambor de fricção", o que de certa forma corresponde ao debate iniciado na postagem "Cuica é percussão?". Interessante também notar a parte em que o texto fala do "gemido vocalizado", pois o som da cuica realmente é muito parecido com um gemido de alguns animais e até mesmo com a voz humana, uma sonoridade, enfim, bastante peculiar.

Outro caso que exemplifica a presença da cuica no universo do jazz é a gravação da música Brazilian Sugar, da autoria de George Duke, interpretada no disco do músico novaiorquino Steven Kroon - esse na imagem do player abaixo -, que tive a oportunidade de conhecer no ano passado, em Manaus, durante o 5º Festival Amazonas Jazz. Fiquei surpreso ao vê-lo tocar cuica durante o show em que ele acompanhava a cantora Carla Cook. Devido à concepção do arranjo, Brazilian Sugar está mais para um samba-jazz do que um jazz propriamente dito. E como a gravação é relativamente longa, o trecho em que o Steven toca cuica começa por volta dos 4min40seg.


Outro registro onde a cuica também bate uma bola com o jazz é a música Rocking with Mocotó, gravada no fabuloso disco Dizzy Gillespie no Brasil com Trio Mocotó, produzido em 1974, mas lançado bem mais tarde, em 2009, pelo selo Biscoito Fino. O disco celebra o encontro entre o trompetista Dizzy Gillespie, um dos maiores nomes da história do jazz, e o Trio Mocotó, grupo de São Paulo que durante muitos anos teve como um de seus integrantes nosso ícone Fritz Escovão, um dos maiores virtuoses da cuica de todos os tempos. E é ele, claro, quem nos presenteia com essa belíssima performance, travando uma espécie de conversa entre a sua "chorona" e o trompete de Dizzy Gillespie.


Para finalizar, um vídeo com imagens de um famoso programa de TV norte-americano, onde uma orquestra comandada por Quincy Jones interpreta a música Soul Bossa Nova, de sua autoria. O cuiqueiro que aparece nas imagens é o músico brasileiro Paulinho da Costa, que há muitos anos se mudou para os Estados Unidos e lá construiu sua bela carreira.

.

5 comentários:

  1. DE FATO É UMA MARAVILHA!!!! EU SEMPRE IMAGINEI SER CUIQUEIRO E APROVEITAR A CUÍCA NA INTRODUÇÃO DE OUTROS RÍTIMOS, ALÉM DO SAMBA. NO FUNK E EM ALGUNS BLUES FICA MARAVILHOSO. FIQUEI CONTENTE COM O QUE EU ACABEI DE OUVIR NESSE BLOG, MATANDO UM POUCO A MINHA CURIOSIDADE.
    UM GRANDE ABRAÇO PRÁ FAMÍLIA CUÍQUEIRA
    G. J. SHAFT KINGS

    ResponderExcluir
  2. Conhece isso, Paulinho?

    http://vimeo.com/15244349

    Abs

    ResponderExcluir
  3. Interessante heim Bernardo!
    Por essa eu não esperava... rs

    Valeu!

    ResponderExcluir
  4. Muito bacana o trabalho Paulo!
    Wesley

    ResponderExcluir
  5. Já tinham visto esse?

    https://www.youtube.com/watch?v=hMYVvjoXf4o

    abraços!

    ResponderExcluir