Intro

Bem vindo ao blog Cuiqueiros, um espaço exclusivamente dedicado à cuica – instrumento musical pertencente à família dos tambores de fricção – e aos seus instrumentistas, os cuiqueiros. Sua criação e manutenção são fruto da curiosidade pessoal do músico e pesquisador Paulinho Bicolor a respeito do universo “cuiquístico” em seus mais variados aspectos. A proposta é debater sobre temas de contexto histórico, técnico e musical, e também sobre as peculiaridades deste instrumento tão característico da música brasileira e do samba, em especial. Basicamente através de textos, vídeos e músicas, pretende-se contribuir para que a cuica seja cada vez mais conhecida e admirada em todo o mundo, revelando sua graça, magia, beleza e mistério.

(To best view this blog use the Google Chrome browser)

sábado, 31 de agosto de 2013

3º Cuicarioca


O dia 7 de setembro não é mais apenas o 250º dia do ano, ou 251º em anos bissextos, de acordo com o modo gregoriano de contar os dias. Também não é mais o dia que dali a outros 115 se completa um ano. Tampouco um feriado nacional em razão da independência proclamada em 1822. 

Agora o dia 7 de setembro já é uma data tradicional do calendário cuiquístico, pois é o dia em que será realizado mais uma vez o Cuicarioca, evento que chega à sua terceira edição e propõe a confraternização dos cuiqueiros do Rio de Janeiro. Mas nada impede a presença de pessoas vindas também de outras localidades. Nesta festa todos são muito bem vindos, independente de sotaque, língua, bandeira ou estandarte. O que importa é a cuica.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Cuiqueiros 5 - Neném da Cuica

O percussionista e pesquisador Luciano Cuica Play publicou recentemente em seu blog uma postagem sobre o músico Neném Guimarães, o que me inspirou a também escrever sobre este nome.

Neném da Cuica

Figura presente entre os percussionistas mais requisitados para gravações em discos nas décadas de 60 e 70, Neném ficou conhecido como Neném da Cuica, naturalmente, devido à sua notória habilidade na execução da nossa querida "chorona". 

Nesse pequeno trecho da entrevista concedida ao Blog do Cuica Play, Neném evidencia sua relevância no cenário musical brasileiro citando alguns dos nomes que fazem parte de sua trajetória artística:

LUCIANO - Como e quando começou seu interesse pela música? É de família de músicos? Já começou na percussão?

NENÉM - Família de músicos. Meu pai tocava cavaquinho, meu irmão toca bateria (...). Por incrível que pareça, comecei com Ataulfo Alves. Depois Monsueto Menezes, Herivelto Martins, depois Jorge Ben Jor. (...) Naquela época eu tocava pandeiro, foi quando numa viagem ao exterior com Haroldo Costa, ele me pediu pra tocar cuica, nunca tinha tocado, aprendi comigo mesmo, peguei uma lata e ficava dentro do hotel, tocando sozinho. (...) ai foi assim de repente, mas eu já tinha influência por causa das escolas de samba, que eu saia no Salgueiro. 

Quanto à relação de Neném com a escola de samba Acadêmicos do Salgueiro, basta dizer que ele está entre os principais ritmistas da história dessa agremiação, destacando-se na avenida com sua cuica durante muitos anos.

Mas, além dos desfiles, gravações em estúdio e shows acompanhando grandes nomes da música brasileira, Neném também teve seu próprio trabalho artístico, tendo sido um dos distintos integrantes do grupo Brasil Ritmo.

Brasil Ritmo - Balança Povo (Som Livre - 1972) - capa e contracapa

Essa música abaixo está presente no disco Brasil Ritmo - Balança Povo, lançado em 1972, e nos prova que o Neném merece uma vaga cativa na galeria dos seletos cuiqueiros da história.

           Música: Todo Mundo Numa Bôa

Uma coisa interessante é que, além do Neném, o grupo Brasil Ritmo também contava com outro grande cuiqueiro em sua formação, o Índio da Cuica, mas que neste trabalho tocava reco-reco. Aqui vemos o Índio e o Neném juntos na foto da contracapa do disco.

Índio e Neném da Cuica

Atualmente, o Neném continua a nos dar o prazer de vê-lo tocar, acompanhando ninguém mais, ninguém menos do que Jorge Ben Jor, na Banda do Zé Pretinho. Aqui nesse vídeo ele demonstra que a química musical entre ele e o Jorge Ben é realmente muito grande, como bem disse o Luciano Cuica Play na entrevista com o mestre. Mas arrisco a dizer que essa intimidade entre eles só não é maior do que a química que rola entre o Neném e a sua cuica. Então, viva o Neném da Cuica e viva a cuica do Neném!

.

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Cuica era a grande atração no começo das escolas de samba

Matéria publicada na versão online do jornal Extra, em 13 de janeiro de 2012, assinada pelos jornalistas Leonardo Bruno e Gustavo Melo. Além de conter algumas informações curiosas a respeito da cuica pelos idos anos da década de 30, a matéria também faz menção a alguns grandes cuiqueiros do passado, como o Bené da Cuica, registrado na bela fotografia em preto e branco mais abaixo.

Cuica é igual mulher honesta, só o dono que toca - Maurício da Cuica
Normalmente, os instrumentos mais associados às escolas de samba são o pandeiro e o tamborim. O surdo também tem muito destaque, e as caixas e repiques fazem a batida característica dos nossos carnavais. Mas, no começo da história das escolas de samba, a grande vedete era a cuica! Nos jornais da década de 30, ela era sempre citada como o “som diferente” que vinha dos sambistas - na época, ela era chamada de “puíta”!

Quando os instrumentos das baterias começaram a ser vendidos nas lojas especializadas, a cuica enchia os olhos do público. Em 1934, na Casa David, ela era o item mais procurado, superando pandeiro, tamborim e reco-reco, que vinham em seguida. A embaixada francesa chegou a encomendar na loja dez cuicas para enviar para a França. E a 20th Century Fox queria mandar um exemplar para os Estados Unidos, no mesmo ano!

Na história do samba, tivemos grandes cuiqueiros, quase todos com o “nome artístico” associado ao instrumento, como Zeca da Cuica (fundador dos Originais do Samba, que não deixou de tocar mesmo depois de perder a visão) , Carlinhos da Cuica (um dos fundadores da Tradição), Bené da Cuica (que desfilou 248 vezes tocando em apenas dois carnavais, 1985 e 1986) e Casemiro (da Velha Guarda da Portela). Viva nossos cuiqueiros!

Carlinhos da Cuica, um dos grandes nomes do instrumento

Bené da cuíca largou o carnaval em 1987 e virou evangélico
.